The Crown tem todos os elementos que me atraem em uma boa história: elementos históricos, base em fatos reais, muito drama, uma ambientação única e a realeza britânica como seu personagem principal. Só isso já foi o suficiente para me convencer logo de primeira! Mas com a correria dos últimos meses foi só nos últimos dias que tive o tempo necessário para começar a assistir a série e acho que não é surpresa para ninguém que terminei os dez episódios da primeira temporada de uma vez só. E o veredito é o seguinte: The Crown não é uma série para todo mundo, mas vale a pena cada segundo.

The Crown conta a vida da Rainha Elizabeth II, focando-se na primeira temporada em seu casamento com Philip Mountbatten e a sua coroação após a morte do seu pai, assim como seus primeiros anos de reinado. Por se basear em fatos reais e envolver muitos personagens e muitas referências de marcos e momentos históricos, essa não é uma série leve de se acompanhar, principalmente porque ela não faz um esforço muito grande para situar seu telespectador em relação à esses dois quesitos. O roteiro pressupõe na grande maioria das vezes que quem está assistindo já tem conhecimento sobre aquilo ou que, caso não o tenha, vai por si só buscar maiores informações. E esse para mim é um dos pontos mais negativos da série.

thecrownnetflix

Uma coisa que me ajudou muito a entrar na história foi já ter assistido (e amar) o filme O Discurso do Rei que conta como o Rei George VI, pai de Elizabeth II, assumiu o trono após a renúncia do seu irmão. Isso porque o filme já tinha me familiarizado com a os personagens da família real, assim como com todos os seus dramas e peculiaridades. (Fica aqui a minha dica caso você ainda não tenha assistido O Discurso do Rei, além de complementar a experiência de The Crown ele é, por si só, um filme maravilhoso!) Mas mesmo assim isso não me impediu de ficar perdida, em diversos momentos, no que estava acontecendo, principalmente durante os três primeiros episódios.

Mas o fato de eu ter terminado toda a temporada em um só dia talvez já entregue para vocês que mesmo com essa falta de contextualização e com o ritmo lento do enredo, The Crown simplesmente me conquistou. Em um momento você está lá, começando a se familiarizar com aquela trama quando de repente já não consegue mais parar de ir para o próximo quando um episódio acaba.

Acho que um dos maiores motivos da série ser tão atrativa é por retratar algo que fascina todo mundo: a realeza e em especial a realeza britânica, que é a mais famosa de todas elas. E mesmo estando sobre os holofotes durante o tempo todo uma coisa que descobri assistindo a série é que não sabemos praticamente nada sobre a vida na corte. E é realmente impossível não ficar fascinada com cada detalhe que vemos em tela. Falando em detalhes, não é atoa que esse é a série mais cara já produzida pela Netflix, The Crown é maravilhosa de se assistir. Os cenários são perfeitos em cada detalhe e de uma similaridade impressionante com a realidade e os figurinos são de tirar de o fôlego! Você realmente se sente transportada para anos atrás.

thecrown

Mas nada disso faria diferença caso o enredo e o elenco não cumprissem – e muito bem – seus papéis. Apesar de se focar na Rainha Elizabeth ela não é o centro de toda a história, é muito interessante como o enredo balanceia a importância dos outros personagens e também dos fatos históricos que se deram durante o período retratado. Mas a minha maior surpresa foi, de longo, o elenco. A Claire Foy realmente está perfeita como Elizabeth e consegue surpreender principalmente na sutiliza da sua atuação que consegue mostrar força e presença sem grandes expressões ou elevações de voz, mas através da sua postura e do olhar. Mas não para por aí! Todo o elenco entrega performances fantásticas, com destaque para o Jarred Harris como o rei George VI e a Vanessa Kirby como a princesa Margaret.

Apesar de começar a assistir The Crown com grandes expectativas não pude deixar de me surpreender pela forma com que a série me conquistou ao longos dos seus dois episódios. Uma produção deslumbrante que vai conquistar qualquer fã de romances históricos e baseados em fator reais por aí. Já não vejo a hora da próxima temporada!